Notícias

Newsletter do IIRC

IFAC encoraja os governos do G20 a adotarem o Relato Integrado

A Federação Internacional de Contadores (IFAC) encorajou os líderes do G20 a "adotarem o Relato Integrado" como um veículo para construir a confiança nos negócios e no governo. A IFAC publicou um documento declarando: "o Relato Integrado é uma oportunidade para focar na criação de valor de longo prazo e melhorar em um sistema altamente fragmentado, complexo e orientadopara compliance. O Relato Integrado é baseado no pensamento organizacional integrado e tem maior probabilidade de alinhar a alocação de capital e o comportamento corporativo com as metas mais amplas de estabilidade financeira e desenvolvimentos sustentáveis". Concluindo, "Agora é a hora de adotar a Estrutura do Conselho Internacional para Relato Integrado para atingir estes objetivos cruciais".

Esta recomendação foi incluída na publicação mais recente da IFAC ‘Construa Confiança. Inspire Confiabilidade. A Chamada Global à Ação dos Contadores pelos Países do G20‘ que define uma forma de capacitar organizações e indivíduos por meio de uma governança forte nas empresas e no setor público. Ela encoraja os governos a promover "políticas públicas coerentes e um ambiente regulatório consistente e transparente que inspira confiança e permite o progresso".

Outras recomendações salientadas pela IFAC incluem a luta contra a corrupção, a criação de um ambiente de investimento seguro e pronto para o digital, e o reforço à governança e à gestão financeira do setor público.

O IIRC participa do braço corporativo do G20 há muitos anos, com Richard Howitt, CEO do IIRC, como membro da Força Tarefa para Energia, Clima e Eficiência de Recursos do B20 durante a Presidência alemã em 2017. Howitt usou sua posição para advogar pela ratificação pelo G20 da implementação das recomendações da Força Tarefa do Conselho de Estabilidade Financeira (FSB) sobre Divulgações Financeiras Relacionadas com o Clima, algo que refletiu na chamada final à ação para os formuladores de políticas.

O IIRC está profundamente triste com a notícia da morte de Ernst Ligteringen. Ernst foi uma força motriz no mundo da sustentabilidade, e seu legado será percebido por muitos anos.

Ernst foi um fundador chave do IIRC e continuou sendo um defensor ativo e advogando como um Embaixador do IIRC. Seu trabalho foi decisivo para concretizar uma mudança real em todo o mundo.

Nossos pensamentos estão com sua família e amigos, e nossos colegas do GRI.

Orientações da Comissão Europeia sobre Relatórios Não-Financeiros salientam o incentivo à adoção do Relato Integrado

O Conselho Internacional para Relato Integrado (IIRC) aprovou a publicação das Orientações da Comissão Europeia sobre Relatórios Não-Financeiros que faz referência à liderança e ao conhecimento do IIRC no desenvolvimento das orientações.

A Diretiva de Relatórios Não-Financeiros dá um importante incentivo para 6.000 empresas por toda a Europa para começar a pensar sobre a criação de valor mais ampla. Em um evento conjunto do IIRC, ACCA, Aviva e Barclays em 21 de junho de 2017, as empresas foram informadas de que a Diretiva de Relatórios Não-Financeiros da UE tem o objetivo de incentivar e não suscitar a adoção à força do Relato Integrado - mas estas orientações salientam tal incentivo.

As diretrizes refletem os princípios-chave do Relato Integrado: "As diretrizes reconhecem a importância das conexões e inter-relações das informações (conectividade), seja entre os diferentes aspectos das informações não financeiras ou entre as informações financeiras e não financeiras". Continuando, "também espera-se que a declaração não-financeira seja concisa e evite informações não relevantes... Informações genéricas ou padrão que não sejam relevantes devem ser evitadas".

Este é um sinal claro para as empresas que estão adotando a Diretiva da importância da integração das informações e da utilização da declaração como um meio de comunicação com as partes interessadas, de forma clara e compreensível - ambos estes conceitos são importantes no Relato Integrado.

As diretrizes vão além: "espera-se que a declaração forneça uma melhor compreensão do modelo de negócios da empresa, sua estratégia e implementação, e explique as implicações de curto, médio e longo prazo das informações reportadas".

Comentando sobre a divulgação das orientações, Richard Howitt, CEO do IIRC, disse: "a Comissão Europeia está de parabéns pela publicação destas orientações com base nos princípios e pelo reconhecimento de que a ‘integração‘ entre diferentes estruturas voluntárias já usadas é melhor do que a adoção exclusiva de qualquer uma delas.

"As empresas que examinarem as orientações encontrarão sem dúvida muitas semelhanças com a Estrutura Internacional do e minha mensagem para elas é que o IIRC estará às ordens, juntamente com nossos parceiros, para dar apoio e orientação à medida que vocês adotam a Diretiva em suas práticas de reporte.

"Nós fortemente recomendamos que vocês deem o que a Comissão Europeia chama de ‘um passo à frente‘ para a integração plena de seus processos de reporte, para que sua empresa seja um exemplo do que há de melhor em relato corporativo na Europa".

Compartilhamento, aprendizagem e inspiração. Você entrou para a Rede do ?

Empresas de todo o mundo participam da Rede do para aprender, liderar e moldar o futuro do relato corporativo.

Ao fazer parte da Rede do você terá a oportunidade única de ter seu relatório revisado por um painel de especialistas e investidores, dando a você insights valiosos quanto ao que você está fazendo bem e como progredir ainda mais.

A Rede do dá acesso às principais práticas e permite que você forme uma rede forte dentre seus pares. As empresas estão no cerne do Conselho Internacional para Relato Integrado, tendo ajudado no desenvolvimento da Estrutura do . Elas agora estão desenhando a futura direção do Relato Integrado por meio da Rede do .

Ao filiar-se agora você ainda terá tempo de participar e reivindicar seu lugar gratuito na Convenção oficial do em outubro de 2017 em Amsterdã. A conferência compartilhará as últimas descobertas, pensamentos e tendências de mercado neste campo.

Os participantes da Rede do frequentam webinars regulares para aprender com aqueles que mais se destacam nas principais práticas. Até agora, este ano os temas incluem concisão, governança, materialidade e a visão do investidor, sendo que os participantes escutarão sobre as contribuições de pares como o HSBC, BlackRock e Novo Nordisk.

Também existem subgrupos da Rede do , o que permite que as empresas se envolvam com os detalhes de um tópico para ajudar a delinear melhores práticas futuras nessas áreas ou para aprender com os outros participantes do grupo. Estes grupos são criados com base nas necessidades e desejos dos participantes da Rede do , com novos grupos com foco na criação de valor por instituições financeiras, estratégia e pensamento integrado, e materialidade.

Os participantes da Rede do estão em diferentes fases da sua jornada em direção à adoção do , mas todos compartilham uma visão de que o pensamento e o relato integrado geram valor para suas empresas e partes interessadas semelhantes. Alguns participantes já estão ganhando prêmios e aclamação por seus relatos, como Marks and Spencer, Novo Nordisk e UniCredit, todas recentemente reconhecidas por seus relatos no Corporate Register Reporting Awards de 2017. Outros estão no início de sua jornada, usando a rede para planejar como melhor evoluir e progredir em seus relatos.

A participação na Rede do mandará uma mensagem clara para as outras empresas em seu setor e região de que sua companhia está empenhada em estar na vanguarda da emissão de relatórios, usando isso para ter um melhor relacionamento com investidores e as principais partes interessadas.

Se sua empresa ainda não participa da Rede do , mas você gostaria de trabalhar com empresas de todo o mundo e de uma ampla variedade de setores que compartilham a mesma forma de pensar, por favor entre em contato com a Diretora de Mercados do IIRC, Sarah Grey, pelo e-mail businessnetwork@theiirc.org.

Treinamento do

O treinamento do desenvolve as habilidades das pessoas e capacita as organizações para a implementação do Relato Integrado.

O treinamento está agora sendo oferecido em todo o mundo pelos nossos Parceiros do - saiba mais sobre as próximas sessões.

O Relato Integrado está se tornando dominante no Japão

279 empresas no Japão divulgaram um relato integrado autodeclarado em 2016, de acordo com um levantamento da KPMG. O relatório declara: "a análise da KPMG indica que a administração compreendeu a significância do diálogo construtivo entre investidores e a companhia, o que levou à emissão dos relatos integrados". O levantamento também mostra que o tamanho dos relatórios está diminuindo.

O relatório da KPMG aparece quando o Ministério da Economia, Comércio e Indústria (METI) emitiu orientações para a divulgação corporativa integrada e o diálogo empresa-investidor para a criação colaborativa de valor. A orientação apresenta uma visão geral das informações que as empresas devem transmitir aos investidores e é altamente alinhada com a Estrutura Internacional do , com foco em valor, modelo de negócios, crescimento sustentável, estratégia, desempenho e governança.

O relatório da KPMG cita o Professor Testsuo Kitagawa da Aoyama Gakuin University que disse: "o número de empresas publicando relatos integrados não só tem aumentado; o conteúdo melhorou. A maioria das empresas que publica relatos integrados explica exatamente o que devem fazer para aumentar o valor corporativo no longo prazo". No entanto, como tanto o relatório como o Professor Kitagawa destacam, ainda há um longo caminho a ser percorrido para que as empresas japonesas tirem o máximo proveito do Relato Integrado, com Paul Druckman, ex-CEO do IIRC, dizendo: "a próxima fase para as empresas japonesas é certamente focar na comunicação do modelo de negócios e sua conectividade, enquanto dão maior clareza à estratégia de longo prazo. O Japão tem muito mais empresas com mais de 100 anos do que qualquer economia do mundo, sendo assim, esse pensamento é intrínseco - minha mensagem é mostrar isso".

A Rede Regional do no Japão reconheceu os desafios que as empresas enfrentam ao adotarem o Relato Integrado e está desenvolvendo uma publicação que identificará as principais questões que os investidores e os que elaboram os relatórios estão enfrentando e dará ideias e dicas de como lidar com elas.

Pesquisas de acadêmicos fundamentam o desenvolvimento do Relato Integrado

Os acadêmicos desempenham um papel chave no desenvolvimento e na implementação do Relato Integrado em todo o mundo. Seu trabalho estimula e reforça o debate sobre a emissão de relatórios e a divulgação, trazendo mais luz sobre algumas das reivindicações quanto aos benefícios do Relato Integrado -, além de possíveis desafios.

Uma pesquisa liderada pela Universidade de Stanford descobriu que o Relato Integrado é positivamente associado tanto com liquidez de ações como com valor firme. Uma pesquisa da Universidade de Cingapura concluiu que as empresas que divulgam mais do que somente informações financeiras começaram a ter um desempenho melhor do que seu grupo controle em meados de 2010. E a Nanyang Business School descobriu que quanto melhor uma empresa realizar seu Relato Integrado, maior será seu valor de mercado.

Pesquisas como esta têm sido fundamentais na construção da força motriz em prol da adoção do Relato Integrado, uma vez que as empresas podem ver por si mesmas as oportunidades que são criadas ao melhorarem sua abordagem do processo de reporte.

Com o suporte da Rede Acadêmica do , um grupo de acadêmicos formou agora um Grupo de Apoio à Pesquisa para ajudar a identificar o número crescente de documentos e pesquisas relacionados com o e garantir que o IIRC, a comunidade acadêmica e as empresas sejam mantidos informados sobre o pensamento acadêmico atual. Os participantes do grupo identificarão quais pesquisas estão sendo realizadas ao redor do mundo e o que isso significa para a adoção do Relato Integrado, tanto em nível regional como internacional.

O grupo é chefiado pela Dra. Laura Girella, PhD pela Universidade de Ferrara, Itália, e coordenadora das Práticas Predominantes do e Programas de Pesquisa do IIRC, e o Professor Cristiano Busco da Universidade de Roehampton, Reino Unido, e Universidade de LUISS, Itália. Mikkel Larsen, do DBS Bank, está desempenhando um papel ativo no grupo para assegurar que haja uma ligação estratégica entre as práticas corporativas e o conhecimento acadêmico.

Os participantes do grupo são acadêmicos em início de carreira e trazem uma série de perspectivas de pesquisa de todo o mundo.

Caso você queira saber mais sobre as atividades do Grupo de Apoio à Pesquisa ou explorar possíveis áreas de colaboração com toda a Rede Acadêmica do , não hesite em entrar em contato conosco: academicnetwork@theiirc.org.

Os participantes do grupo compartilharam as razões que os motivaram a aderir e suas esperanças para o trabalho que será executado:

Charika Channuntapipat, Birmingham Business School, Reino Unido: "Entrei para o grupo porque me interesso pelo desenvolvimento e a utilidade das práticas do relato corporativo, incluindo o Relato Integrado. Meu objetivo é fazer parte do desenvolvimento; ajudar a criar o diálogo sobre novas práticas de reporte; e produzir material de pesquisa relevante e informado sobre as práticas atuais".

Elisabeth Kassotaki, Athens University of Economics and Business, Grécia: [Ao participar do Grupo de Apoio à Pesquisa do Relato Integrado] "... você apoia um movimento inovador que apresenta uma solução eficaz para as deficiências dos sistemas de reporte existentes. Simultaneamente, os diferentes projetos dos quais você participa e a cooperação com pesquisadores que compartilham interesses comuns ampliará seus próprios horizontes e incentivará mais questionamentos".

Joanna Krasodomska, Cracow University of Economics, Polônia: "O Relato Integrado tem sido uma parte importante da minha pesquisa desde que o conceito surgiu, mas eu só comecei a colaborar com os acadêmicos estrangeiros há alguns anos. Isso me fez perceber o quão benéfica essa cooperação pode ser, não só em termos da contribuição para o desenvolvimento da ciência, mas também para a melhoria do conhecimento pessoal, habilidades e satisfação no trabalho. Espero que eu seja capaz de contribuir para o desenvolvimento do conceito do Relato Integrado na pesquisa e na prática não somente em escala global, mas também em meu país - a Polônia - e em outros países da região. Eu pretendo participar ativamente do processo de mudança para melhor do relato corporativo".

Rana Mustansir, Pakistan Institute of Corporate Governance: "Entrei para o grupo por causa de sua diversidade, tanto em termos de experiência como de seus membros, e sua ligação com a Rede Acadêmica do que tem sido fundamental em fomentar a adoção global do Relato Integrado. Meu objetivo é ajudar o IIRC a criar uma base de pesquisa global que facilite a colaboração entre pesquisadores de todo o mundo, inclusive dos mercados emergentes".

Kavita Nandram, University of Amsterdam e PwC: "Meu projeto de doutorado examina o efeito do Relato Integrado sobre as empresas e seus acionistas e a opinião das partes interessadas e o comportamento da tomada de decisão. Meu objetivo como membro ativo do Grupo de Apoio à Pesquisa Acadêmica do IIRC é contribuir para a pesquisa acadêmica e programas de estudo sobre o Relato Integrado, também de um ponto de vista prático. Estou ansiosa por dar a vocês mais informações sobre as pesquisas acadêmicas no campo do Relato Integrado.

Andrea Tenucci, Institute of Management, Scuola Superiore Sant’Anna, Itália: "Entrar para o Grupo de Apoio à Pesquisa me dá a oportunidade de contribuir para a construção do conhecimento compartilhado e para a promoção da cultura sobre o Relato Integrado. Eu acredito que o grupo pode representar uma conexão fundamental entre as universidades, os profissionais e as empresas".

Jochen Theis, University of Duisburg-Essen, Alemanha: "Em minha pesquisa eu primeiramente uso uma abordagem experimental e avalio questões relacionadas à auditoria e à emissão de relatórios. Entrei para o Grupo de Apoio à Pesquisa do IIRC por causa do meu interesse em relatórios de sustentabilidade e para conseguir novas percepções ao trabalhar com um grupo internacional de pesquisadores".

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Por que nosso relato integrado é uma ferramenta essencial para a interação com o mercado

Maria Luisa Parmigiani, Chefe de Sustentabilidade, Grupo Unipol

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A A4S publica o ‘Guia Essencial de Contabilidade em Capital Social e Humano‘.

Ao comentar sobre a publicação, Richard Howitt, CEO do IIRC,disse: "Os capitais social e humano são parte integrante de todo o conceito do relato e do pensamento integrado. A A4S realizou um trabalho pioneiro que contribui para desenvolver ainda mais o Relato Integrado para todas as empresas e um mundo multi-capital".

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Entender o modelo de negócios e sua dinâmica é crucial para a criação de valor de longo prazo

David Hackett, Gerente de Política Técnica, CIMA

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quer saber como é a cara das melhores práticas?

Visite o Banco de Dados de Exemplos do .

Os recentes acréscimos incluem:
Mitsubishi Corporation, Coca Cola HBC, Aegon, ING, TSKB, Triodos, ACCA
British Land, Anglo American e Omron Corporation.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A especialista internacional em reputação, Sandra Macleod, é nomeada embaixadora do IIRC declarando que o IIRC é: "uma organização impressionante com um forte propósito de ajudar a melhorar a tomada de decisão da administração e o desempenho de longo prazo".


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------